Visitando Porto

Durante a minha estadia em Portugal, uma das cidades que mais visito aqui é Porto, pois é uma cidade relativamente grande, e com muita coisa para se fazer.

A primeira vez que fui ao Porto foi no primeiro final de semana que estive em Portugal, eu e o Alan acabamos indo assistir um show de hardcore (nunca tinha ido) na parte da tarde e aproveitamos para conhecer alguns lugares na parte da manhã. Os principais lugares que conheci (por enquanto):

  • Torre dos Clérigos
  • Caves (lugares onde existem vários espaços destinados ao vinho) de Porto e andamos pela ponte que cruza o Rio Douro, extremamente lindo esse lugar.
  • Depois lá pelas 14:00 horas acabamos indo para o show de Hardcore, para mim é algo novo, então tive que me adaptar e tirar o máximo.

Já em outro momento que estive em Porto novamente para realizar um cursor dentro da Casa da Música

03102009584

Como podem ver é extremamente bonito, antes de falar do workshop, a Casa da Música foi muito bem desenhada e existem vários espaços que são destinados a concertos em geral, baladas em apenas 1 ambiente ou na casa toda, fiz uma visita guiada e é extremamente interessante, cada parte dessa casa foi pensada para a musica, é muito fixe!

04102009599

Depois da visita, voltei para o workshop de MAX/MSP, que é uma linguagem de programação visual para musica e multimídia, aqui encontra-se mais informações sobre o assunto, durante 3 dias ocorreram a oficina, porém fui em apenas 2 dias, pois estava cansado da viagem (Brasil – Portugal) que tinha realizado e ainda não havia organizado as minhas coisas.

03102009588

Ainda no primeiro dia, acabamos indo conhecer o LCD – Laboratório de Criação Digital, que estava em reformas e ajudamos o pessoal, pintando paredes e tudo mais. Dormimos em um Hostel perto da estação São Bento e no outro dia (domingo) voltamos para o workshop do Max/Msp.

Ao final do workshop voltamos para Guimarães para dormimos e acabei por ficar em casa na segunda-feira (feriado aqui), enquanto o Alan voltou para Porto para o último dia do workshop.

Uma coisa que vale salientar é a quantidade relativamente alta de workshops realizados em Portugal, existem inúmeros grupos que montam esses workshops, isso é muito interessante vale a pena comparecer, trocar informações, aprender, enfim, se divertir.

Depois de um tempo sem ir ao Porto (pois visitamos a Espanha e também Lisboa), acabamos voltando na segunda semana de dezembro para ir ao show do Nouvelle Vague, nunca tinha ouvido falar nessa banda, mais gostei muito de ter ido, foi muito fixe (legal). Ficamos na casa de uns brasileiros, conhecidos do Alan nesse dia, pessoal gente boa mesmo, eram também de Joinville.

É isso ai, depois conto mais sobre passar o final de semana no LCD, hackando coisas, aprendendo outras, trocando informações e conhecendo gente nova 🙂

Até a próxima, abraços!

Viagem para Lisboa

Bom depois de algum tempo sem postar aqui, vou relatar um pouco da viagem que fiz juntamente com o Alan para Lisboa.

A ideia de visitar Lisboa, surgiu a partir de uma exposição chamada INSIDE que o Alan listou nos eventos que gostaria de ver aqui pela Europa. Como de costume trabalhamos até as 18 horas, arrumei minha mala e saiamos para pegar o Comboio para Porto e depois o Trem para Lisboa.

Achávamos que seria um trem parecido com os Comboios que pegamos para viajar de uma cidade a outra aqui em Portugal, porém descobrimos que depois da 0:00 e em viagens longas apenas funciona esse tipo de trem [low cost :-)].

31102009090

Como podem ver o trem é bem desconfortável. Também barulhento sem contar que cada curva era uma emoção, pois simplesmente dava a impressão que iria tombar, mas tínhamos que chegar, então arrumamos um jeito “confortável”  de passar a noite e tentar dormir, algo que dificilmente conseguimos pois, a cada parada novas pessoas entravam com suas malas fazendo barulho, sendo praticamente impossível pregar o olho por mais de 20, 30 minutos.

Depois de 6 horas e inúmeras paradas, chegamos ao destino final, era quase 7 horas da manhã. E o tempo estava bem feio, totalmente nublado.

10312009001

Enfim, tomamos café e começamos a andar pelos arredores da estação e acabamos achando os lugares que gostaríamos de visitar e outros tantos. Conhecemos no Sábado de manhã e parte da tarde os seguintes locais:

Depois de visitar esses dois locais acabamos indo para Santa Maria de Belem para ver a exposição INSIDE e também outros locais que gostaríamos de visitar.

Depois de mais ou menos 1 hora e 30 minutos de Ônibus, chegamos ao local, paramos 1 ponto a frente do que deveríamos e andamos mais uns 10 minutos para chegar até a exposição INSIDE.

31102009240

Depois de ver as obras de 22 artistas, assistimos uma palestra e decidimos procurar um local para tomar uma ducha, se arrumar e sair para conhecer a noite de Lisboa. Isso já era quase 19 horas quando saímos do INSIDE, estávamos procurando uma pousada da Juventude perto do local onde estávamos mas o Google Maps acabou nos enganando e não conseguimos achar essa pousada, ficamos cerca de 2 horas procurando e nesse meio tempo conhecemos um alemão, extremamente simpático, o seu nome era Mambo, ficamos batendo papo (ótima oportunidade para praticar inglês) até verificar novamente algum local na internet (pelo celular) para passarmos a noite, mas foi em vão, então deixamos de lado a tecnologia e saímos perguntando  (as vezes é a opção mais funcional :-] ), no final das contas achamos um pousada, que custou 22 EUROS, meio caro, porém nas circunstância que estávamos era aceitável, sem contar que era bem localizada e confortável (Descobrimos no dia seguinte).

Depois disso saímos para tomar uma cerveja, jantar e conhecer o local, ai descobrimos que o local de bares e baladas ficava numa região um pouco longe e tínhamos que pegar um trem para chegar até lá. Então achamos melhor ficar por ali mesmo, descansamos e no domingo tínhamos alguns lugares para visitar, entre eles:

Então acordamos, tomamos café na StarBucs Coffee e começamos a visita pelo Mosteiro, depois partimos para o Museu de Marinha, Exposição Quinta do Rouxinol e acabamos na Casa Cultural de Belem, infelizmente não conseguimos visitar outros lugares, pois o trem de volta sairia as 18 horas e não queríamos pegar o trem da meia noite novamente. Então lá pelas 16 horas pegamos um trem e partimos para a estação de Metro de Belem e então até a estação onde pegaríamos o trem para Porto.

Chegamos em tempo e ainda deu para almoçar (as 17 horas) e então esperar o trem partir. Chegamos em Porto quase 22 horas, pegamos o comboio para Guimarães, desfiz a mala e cama, pois tinha que trabalhar no outro dia.
Coisas que aprendi com essa viagem:

  • Jamais pegue o trem da meia noite
  • Reserve um albergue/pousada com antecedência e verifique a localização do mesmo, isso faz com que seja poupado algum dinheiro.
  • Ir a Lisboa para passar dois dias é muito pouco para conhecer os principais pontos turísticos.

Até a próxima!

Portugal – Primeiras Impressões

Depois de esperar, esperar e esperar exatos 76 dias, o visto para Guimarães –  Portugal saiu! Para quem não sabe, estou realizando um estágio de 6 meses na Universidade do Minho, no Centro de Computação Gráfica, o CCG.

23092009439

Visto em mãos, malas prontas, embarquei em São Paulo para Lisboa às 22:50 do dia 23/09/2009 e como previsto, cheguei, em Lisboa, às 12:35 do dia 24/09/2009, isso mesmo foi preciso fazer escala em Lisboa, até ai tudo bem e até pensei “a TAP é bem organizada e pontual, gostei”.

Depois de passar pela vistoria do passaporte, responder algumas perguntas, fui procurar o local do meu voo para Porto, sendo um aeroporto muito grande, descobri que estava no terminal 1 e tinha que ir ao terminal 2, de onde sairia meu voo, até ai tudo tranquilo, nada de mais, peguei um autocarro (ônibus) e fui, chegando ao terminal, procurei o portão de embarque número 206, e fui comer algo, liguei para o Alan que estaria me esperando em Porto para pegarmos o comboio (trem) para Guimarães e conheci as lojas de conveniência desse terminal, isso era por volta das 14:00 horas.

Bom depois de uma longa espera ouvindo música, lendo revista, livros, dormindo, procurando algo para fazer, já não aguentava mais esperar, pois estava sem dormir e não via a hora de chegar em Porto para prosseguir para Guimarães.

Por voltas as 16:00 horas, começou a ser realizado o embarque, nada de mais, todo mundo se posicionou no portão 206 e esperamos, a primeira pessoa entrou tranquilamente e ficou esperando no autocarro, enquanto o resto pessoal esperava o próximo, porém a demora estava demais, todos pensamos, deve ter algum engano na passagem ou algo do tipo, nisso uma funcionária da TAP se dirige até o autocarro e pede que a primeira pessoa que já estava acomodada, volte-se para o terminal.

Demora-se a informar o porque da demora, nesse intervalo de tempo, descobrimos que os pilotos da TAP estavam em greve[link 1, link 2], e os voo estariam ATRASADOS, foi isso o que passaram para os passageiros, mas a realidade era outra.

Nesse vai e não vem, já era marcado 18:20, mais ou menos, e nada de informações, apenas diziam que estava atrasado e por causa da greve tinham que esperar, essa era a desculpa. Enfim, liguei novamente para o Alan e disse que o voo estava atrasado e iria demorar mais um “pouco” (Já vão entender o por que das aspas).

Bem finalmente uma funcionária da TAP decide se pronunciar com uma notícia que iria mudar o meu primeiro pensamento sobre essa companhia, o voo tinha sido CANCELADO, pensei, “ótimo, agora fu*** de vez, como vou para Porto?”, logo pensei em uma resposta, “Acho que eles vão encaixar o pessoal no próximo voo!”, engano total, encaixaram sim em um autocarro, agora pergunto, valeu o investimento feito para se ter uma viagem rápida e tranquila de avião? E o dinheiro vou ser reembolsado?

Bem ou mal tínhamos um transporte para Porto, rápido ou não deveria chegar. Era isso ou esperar até outro dia, sabe se lá, se o próximo voo para Porto também não seria cancelado? Portanto resolvi ir de autocarro mesmo.

Algo importante salientar é o cuidado que a TAP tem com a nossa bagagem, em São Paulo, quando fiz o check-in, me disseram que iria pegar minha bagagem em Porto, então estava totalmente despreocupado, quando novamente a funcionária da TAP veio e informou que tínhamos que procurar nossa bagagem! Isso mesmo PROCURAR! Nem eles sabiam em que lugar do aeroporto estava. Novamente temos que pegar o autocarro do aeroporto e ir até o terminal 1, onde estavam as malas, chegando lá vejo um amontoado de malas entre duas esteiras, elas estavam JOGADAS, isso mesmo, JOGADAS, sem NENHUM cuidado, sem nenhuma verificação, se alguém mal intencionado deseja-se “pegar” alguma mala, ninguém da companhia aérea iria verificar, é RIDÍCULO. (Pode pensar, no Brasil é a mesma coisa, mas acho que o mínimo que a companhia deveria fazer era tomar conta dessas bagagens afinal a culpa não era nossa e sim da TAP).

Por SORTE minha mala estava lá, um pouco danificada, pelo extremo cuidado que tiveram (sarcasmo), coloquei no carrinho e esperei o resto do pessoal do voo pegar as suas. Quase todos com a sua bagagem em mãos, (sim, algumas pessoas tiveram que correr atrás da suas bagagens), fomos instruídos a esperar pelo autocarro que iria levar o pessoal para Porto, nesse mesmo terminal, em frente a saída. Bom e ali ficamos, por cerca de 40 minutos, isso mesmo 40 minutos de pé, com nossas malas e apenas com a esperança de que o autocarro chegasse, sem nenhuma informação.

Enfim, às 19:40, o autocarro chega, embarcamos e pensei: “agora vai”. E o que acontece? Mais uma parada no terminal 2 para buscar outros passageiros que ali aguardavam do mesmo modo que agente, sem nenhum tipo de informação. Passageiros “acomodados”. Pensei comigo, pelo menos devem servir algo durante o trajeto, algo como água e algum tipo de biscoito e o que acontece? Exatamente o que esta pensando, nada, paramos em uma lanchonete e tivemos que pagar do nosso bolso, ou seja, mais gastos.

Isso já era 21:30, e foi estipulado 30 minutos de parada, voltamos todos para o autocarro e seguimos viagem até Porto. Vocês devem estar se perguntando e o seu amigo como ficou nessa? E te mostro!

092520090041

Isso mesmo, sem nenhuma informação e esperando! Totalmente desanimado!
Finalmente chego a Porto por volta das 0:30 (Isso mesmo, Meia noite e meia), 25/09/2009.

Muito cansado! Sem dormir desde o dia de partida de São Paulo.
Chegando, malas colocadas no carrinho e vou ao telefone ligar para o Alan, coloco minhas ultimas moedas (euro), e a máquina simplesmente as come e não faz a minha ligação, pensei, fu***, ele já deve ter ido embora! Começo a vagar pelo aeroporto e o encontro ele sentado olhando para o nada, com cara de que não sabia o que fazer, depois descobri sua ideia:

09252009

Isso mesmo que esta pensando, ele iria passar a noite no Aeroporto, até as 5 horas da manhã quando sai um comboio (trem) para Guimarães, caso eu não chegasse! Ele já não sabia o que pensar, até mesmo o pior passou pela sua mente.

Fiquei feliz em revê-lo depois de um tempo, e começamos a buscar alternativas para o nosso problema: a falta de transporte para Guimarães, afinal estávamos sem comboio e autocarro, pois as passagens terminavam antes da meia noite.

Um solução inicial era passar a noite no aeroporto, acordar 5 da matina e então partir para Guimarães, a principio a ideia não me agradou muito pelo fato de estar totalmente esgotado, mas como não estava conseguindo mais pensar, iria dormir numa boa.

Então decidi ligar para minha família e dizer que tinha chegado “tudo bem” e que estaria indo para Guimarães assim que tivesse condições e nesse meio tempo vejo que o Balcão da TAP estava fechado, mas acesso e com algumas pessoas lá, novamente pensei e comentei com o Alan “Será que eles podem nos ajudar, afinal o erro foi deles”, mais uma vez bati com a cara na parede, quase literalmente, pois tive que conversar com essas pessoas através de uma porta toda furada. Explique toda a situação e foram categóricos em dizer, “Estamos fechados e não podemos fazer nada”, novamente fique muito puto e elas saíram do balcão de atendimento e foram a uma sala do lado, que era toda de vidro, mais tinha algumas frestas que dava para ver e o que eles estão fazendo? Estavam rindo da nossa cara! ISSO MESMO RINDO!

Agora me pergunto como um companhia desse tamanho pode ter essa nível com seus clientes?

Parei e pensei, vou ligar para a família agora! Falei com a família e desci para tentar alugar um carro e simplesmente não havia mais nada aberto, a não ser uma, que não tinha ninguém, somente um telefone, com os dizeres, mais ou menos assim, “Pegue o telefone” e uma pessoa atendeu e simplesmente disse que não havia carro, nem se quer informou os preços!

Fiquei mais uma vez muito insatisfeito e fomos perguntar quanto daria uma corrida de táxi para Guimarães, desta vez, FELIZMENTE os taxistas foram extremamente educados, simpáticos. Fizeram um preço, que pelas circunstâncias, achamos correto!

Pensa que terminou, não terminou não, estávamos colocando a mala no carro quando percebo que estou sem carteira, bateu o desespero, pensei: “Realmente, acho que estou cagado, não é possível, o que vou fazer agora?”, logo lembrei do telefonema que dei para meu familiares e o Alan, muito gentilmente, subiu até o telefone enquanto continue procurando dentro das bolsas e fui até o local de achados e perdidos, FELIZMENTE, ela estava lá, no telefone, sem nenhum dano! Ta certo que fui n00b nessa!

Depois dessa pegamos o táxi até Guimarães, chegamos por volta das 2 da manhã, do dia 25/09/2009. Sim Chegamos! E VIVOS.

Resumindo: Fiquei sabendo que essa greve foi anunciada e a TAP nada fez! É um desrespeito a seus clientes! Seja bem vindo ao Pais de Primeiro Mundo
TAP fail!
Don’t Fly TAP

[ ]’s

FISL 10

Em junho, organizei uma caravana para o FISL – Fórum Internacional de Software Livre, partindo da UDESC Joinville. Reunimos um bom pessoal, 26 pessoas, foi bem custosa a organização e a realização, mas valeu muito.

Saímos de Joinville 1 dia antes de começar o evento, algo em torno das 6 das manhã, depois de uma viagem longa chegamos a Porto Alegre e logo procuramos o hotel Umbu que tínhamos reservado previamente, na reserva, no site tínhamos uma visão um pouco modificado do que encontramos, já explico, o hotel estava em reforma e era muito velho, limpo pelo menos, mas mesmo assim Não recomendo!

Bom não tínhamos outra alternativa, ficamos nesse hotel mesmo e já no dia seguinte bem cedo partimos para o FISL, chegando uma surpresa em relação ao ano passado, não havia filas grandes e fiquei extremamente contente. Como no ano passado o grupo participou novamente como grupo de Usuário, então logo que cheguei já entrei e fui organizar as coisas do grupo Colmeia, enquanto o pessoal ficou esperando uns 10 minutinhos para iniciar o evento.

Caravana FISL10

Esse ano assisti bem pouco as palestras e fiquei mais no I Festival Internacional de Robótica Livre onde desenvolvemos o projeto Hovercraft. Posso dizer que foi extremamente produtivo minha participação nesse evento, conheci pessoas de todo o Brasil e também o pessoal muito gente fina do Paraguai, resumindo o evento é  importante (ao meu ver), onde “personalidades” do mundo do Software Livre vem participar, se comunicar e interagir com todo o publico. Veja a galera que participou do I Festival de Robótica Livre no FISL 10.

Oficina de Robótica Livre

Em especial esse ano o Presidente do Brasil esteve no evento e infelizmente atrapalhou bastante a realização do mesmo. Por outro lado vejo positivamente a sua presença, pois demonstra pelo menos o interesse do governo no uso de Softwares Livre, mas poderia ser melhor organizado.

Enfim, o balanço do evento foi totalmente positivo e pode apostar que nas próximas edições estarei presente :-)

É isso ai, até logo!